9 de abr de 2019

Flávio Dino condena morte de músico no Rio, vítima de operação parecida com a que matou Karina em Balsas

No dia 15 de dezembro de 2016, a jovem Karina Britto, de 23 anos, estudante de Ciências Contábeis, foi metralhada na cidade de Balsas (região Sul do Maranhão), numa operação da Polícia Militar quando retornava com a irmã, Kamila, de um velório.

Os policiais, que estavam sem farda e mascarados, faziam buscas a supostos assaltantes, confundiram o veículo da moça e não tiveram dúvida em disparar seus armamentos pesados. O caso nunca foi devidamente esclarecido e não mereceu protestos por parte do governador Flávio Dino (PCdoB) e do seu secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Na tarde deste domingo (07), o músico Evaldo Rosas dos Santos, 51 anos, foi morto numa operação do Exército, no Rio de Janeiro, quando o carro em que se encontrava sua família foi confundido com o de bandidos que haviam atacado soldados da corporação. Evaldo era o condutor do automóvel e morreu no local, numa cena parecida com a de Karina Britto (foto abaixo) no interior maranhense.

Resultado de imagem para estudante metralhada em balsas
A operação desastrada dos soldados do Exército na capital fluminense, nos mesmos moldes dos militares maranhenses, mereceu indignação do governador Flávio Dino.

“Um dia de domingo: cidadão é fuzilado por ´equívoco`; mulher é agredida por três homens em face de posições políticas; jornalista da TV é ameaçado de morte em razão de reportagem. Essa é uma característica do ethos fascista: a violência”, afirmou aquele que nunca condenou a violência com características fascistas da PM da qual é comandante em chefe contra uma estudante conterrânea.

Nenhum comentário: