12 de jun de 2019

Banco do Nordeste premia nesta quinta-feira as melhores micro e pequenas empresas do Maranhão em 2018

GIRO ECONÔMICO

O Banco do Nordeste premia, nesta quinta-feira (13) as três empresas maranhenses que mais se destacaram em 2018 nas categorias Comércio, Indústria e Serviços. Esta é a quinta edição da premiação, que reconhece e incentiva clientes que se destacaram e prosperaram em seus empreendimentos, a partir dos financiamentos do Banco. A solenidade será realizada na Associação Comercial do Maranhão (ACM), a partir das 18h. 

A premiação estimula a boa gestão e investimentos dos recursos financiados, avaliando critérios como inovações empregadas no negócio, competitividade, adoção de práticas que visam à redução do impacto ambiental, número de empregos gerados e evolução das receitas após o financiamento. Na solenidade, ainda serão apresentadas as condições exclusivas ofertadas pelo BNB para MPEs e informações sobre a atuação da instituição em apoio ao segmento no Estado.

Em toda a área de atuação do BNB, centenas de clientes foram indicados pelas diversas agências do Banco. Ao todo, serão premiados 33 clientes, três por estado do Nordeste, além do norte de Minas Gerais e Espírito Santo. 

Bancos - Pesquisa da Fiserv, provedora de tecnologia de serviços financeiros globais sediada em Wisconsin (EUA), que entrou no Brasil em 2009, revela que 45% dos clientes já esperaram uma hora ou mais para serem atendidos em uma agência bancária; os brasileiros encontram com frequência longas filas de espera em bancos; 47% já chegaram atrasados ao trabalho por causa dela; mais de um em cada três já se atrasaram para uma consulta médica ou para reunião social com amigos; 15% já perderam a hora para uma entrevista de emprego.

Safra - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima para este ano uma produção agrícola de 5,290 milhões de toneladas, o que representa recuo de 5,3% na comparação com a colheita da safra anterior, que foi de 5,585 milhões. De acordo com o levantamento divulgado nesta terça-feira (11), a área plantada também diminuiu, 13,2%, pois foi de 1,818 milhão de hectares em 2018 e este ano caiu para 1,578 milhão de hectares. Quanto a produtividade, houve aumento de 9,1%. Era 3.071 quilos por hectare e agora são 3.352. 

Na Feira da Inovação da Indústria, em São Paulo, o presidente
da Fiema, Edilson Baldez (C), com o senador Weverton Rocha (PDT) e o
ex-senador Romero Jucá (MDB), com o presidente da CNI, Robson
Braga (D) e o vice-presidente executivo da CNI, Paulo Afonso Ferreira
Políticos - Políticos que se consideram de esquerda não se sentem desconfortáveis estando ao lado de figuras emblemáticas da política nacional quando o assunto é Sérgio Moro ou Jair Bolsonaro. E não há ameaça de desgraça econômica que os faça refletir mais sobre o Brasil. 

Garantia - Os bônus do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) da Conab para o mês de junho saíram para 13 produtos, cultivados e extraídos em diversas regiões brasileiras: açaí (AC e AM), cacau (AM), feijão caupi (PA) e babaçu (TO), babaçu e feijão caupi (MA, PE, CE e PI), castanha de caju (PB), leite (PE), manga (BA), mel (BA, PI e RN), mandioca (CE, ES e PB), cana-de-açúcar (ES), mel (MG), feijão caupi (MT), bônus café arábica (PR), maracujá (SC), mel (PR, SC e RS) e uva (SC). 

Indústria  - A produção industrial cresceu em dez dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de março para abril, segundo Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional. As maiores altas foram em Pernambuco (8,3%), Bahia (7,4%) e Região Nordeste, que congrega os dados dos nove estados (6,1%). Outros que tiveram alta foram Mato Grosso (5,1%), Ceará (3,7%), São Paulo (2,4%), Rio Grande do Sul (2,3%), Santa Catarina (1,3%), Paraná (0,3%) e Minas Gerais (0,1%).

Nenhum comentário: