16 de jun de 2019

Produção de milho no Maranhão terá aumento de 11,5% na safra deste ano, segundo nova estimativa da Conab

GIRO DE DOMINGO

Para uns é mais lenda do que fato, mas por muitos anos o Maranhão foi apresentado como um dos maiores produtores de arroz do Brasil, contudo desde os anos 1990, o destaque passou a ser para a soja, cultura que dá ao estado o segundo lugar entre os quatro integrantes do Matopiba, fronteira agrícola composta também por Tocantins, Piauí e Bahia. O que se percebe, entretanto, com a análise do último levantamento da Conab sobre a safra 2018/2019 é que em breve o milho poderá se tornar a maior produção agrícola do Maranhão. 

Para que se tenha ideia, na safra anterior a colheita de milho foi de 1,884 milhão de toneladas e a de soja, 2,973 milhões, e na deste ano, o milho terá produção de 2,101 milhões de toneladas, um aumento de 11,5%, e a de soja, 2,916 milhões, queda de 1,9%. A produção do milho atinge esse desempenho apesar da área plantada (413,6 mil hectares) ser menos da metade da ocupada por plantadores de soja (992,1 mil hectares).

Uma das explicações para esse desempenho pode estar relacionada à produtividade, pois se na safra anterior eram 3.897 quilos por hectare, na deste ano, serão 5.081 (aumento de 30,4%), enquanto a de soja variou de 3.125 para 2.940 quilos por hectare (-5,9%). 

Pregoeiros - Com o objetivo de expandir a atuação no Maranhão, o Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, oferecerá um ano de degustação gratuita de seus serviços para corretores e imobiliárias locais. Além da veiculação de anúncios de venda e locação de imóveis, o Imovelweb oferece excelentes ferramentas para o gerenciamento destes anúncios. Além disso, disponibiliza uma funcionalidade que se propõe ajudar os anunciantes a desenvolverem conteúdos ainda mais completos e atrativos.

Combustíveis - A partir deste domingo (16) entra em vigor nova tabela com preços de referência para cobrança de ICMS sobre combustíveis. Aprovado pelo Conselho Monetário de Política Fazendária (Confaz), o Ato Cotepe fixa a gasolina comum em R$ 4,66 e aditivada em R$ 5,70, valores sobre os quais incide o imposto, pouco importando por quanto é vendido na bomba. Segundo a Secretaria de Fazenda, os valores são encontrados pelas médias de preços medidos pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Na apresentação do Programa Sesi Gestão da Diversidade, Celso
Gonçalo (C) com Allan Kardec Ferreira (Sesi) e os empresários
Franklin Andrade (Elétrica Visão) e Francina Andrade (Buona Massa)
Esporte - Em 12 anos, o Brasil sediou quatro eventos esportivos mundiais. Em 2007, o ex-presidente Lula foi vaiado na abertura do Pan; em 2014, a ex-presidente Dilma teve seu discurso abafado por ofensas; em 2016, Michel Temer foi recebido com sonora vaia na abertura da Olimpíada do Rio; sexta-feira, Bolsonaro foi aplaudido ao abrir a Copa América.

Fornecedores - O Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF) pretende reunir cerca de cem empresas no Encontro de Negócios do Sistema S que será realizado nesta terça-feira (18), na Federação das Indústrias. São fornecedores e distribuidores de produtos de limpeza, material de escritório, refrigeração, equipamentos de proteção individual, locação de materiais e sonorização para eventos, ferragens e ferramentas, materiais elétricos de baixa e alta tensão, material hidráulico, dentre outras categorias.

Estacionamentos - Demorou, mas finalmente um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu interpretar com inconstitucional a lei municipal que concede gratuidade de 30 minutos nos estacionamentos de shopping centers de São Luís. Ricardo Lewandowski suspendeu a gratuidade por entender que a regulação só pode ser feita por lei federal. A decisão foi publicada sexta-feira (14) no Diário Eletrônico do STF, mas ainda cabe recurso da decisão. A ação foi ajuizada pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

Nenhum comentário: