7 de ago de 2019

Associação de Jornais estranha medida provisória de Jair Bolsonaro que desobriga empresas de publicar balanços

Resultado de imagem para jornal
GIRO ECONÔMICO

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) distribuiu nota nesta terça-feira (06) em que manifesta incompreensão com a Medida Provisória do presidente Jair Bolsonaro que desobriga as empresas de sociedade anônima a publicarem, anualmente, seus balanços em pelo menos um jornal de "grande circulação", sendo que agora podem fazer isto pela internet e publicar, de graça, no Diário da União online.

Eis a íntegra da nota:

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) recebe com surpresa e estranhamento a edição da Medida Provisória 892, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, que dispensa a publicação de balanços de grandes empresas nos jornais.

Além de ir na contramão da transparência de informações exigida pela sociedade, a MP afronta parte da Lei 13.818, recém aprovada pela Câmara e pelo Senado e sancionada pelo próprio presidente da República em abril. Por essa lei, a partir de 1º de janeiro de 2022 os balanços das empresas com ações negociadas em bolsa devem ser publicados de modo resumido em veículos de imprensa na localidade sede da companhia e na sua integralidade nas versões digitais dos mesmos jornais.

Brasília, 6 de agosto de 2019.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS - ANJ


Startups - Nesta sexta-feira (09), o Banco do Nordeste divulga edital para concessão de apoio financeiro a iniciativas inovadoras por meio de recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Inovação (Fundeci). O Edital Fundeci 01/2019 visa aumentar a competitividade das micro e pequenas empresas, com recursos não reembolsáveis aplicados no desenvolvimento de soluções tecnológicas. Podem participar empresas dos setores industrial, comercial e de serviços, especialmente Startups e Empresas de Base Tecnológica, além de Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs) e outras instituições interessadas no tema inovação, desde que exerçam suas atividades na Região Nordeste e no Norte dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Tambaqui - Brasília sedia a partir desta quarta-feira (7) o Primeiro Festival Tambaqui da Amazônia. Um dos objetivos do festival é tornar mais conhecido o peixe amazônico – rico em proteína – e também estimular o hábito de consumo de pescados entre os brasileiros. No evento, que será na Esplanada dos Ministérios, cerca de seis toneladas do peixe serão assados em churrasqueiras e distribuídos para população. O evento conta que após uma visita a um evento de Rondônia, estado com maior produção de peixes nativos em cativeiro, viu que precisava ampliar a visibilidade da espécie. 

Pescado - Dados do Ministério da Agricultura apontam que o Brasil importa US$ 1 trilhão de pescados por ano de países como Vietnã, Rússia e Argentina. Já as exportações somam US$ 200 milhões. “Precisamos incentivar a produção nacional e o consumo de peixe”, diz o secretário de aquicultura e pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Jorge Seif Júnior,

A bancada maranhense na Câmara Federal manteve a mesma votação 
do primeiro turno na aprovação do texto base da reforma da Previdência, 
na madrugada desta quarta-feira (07). Foram 14 votos pelo sim e apenas 
quatro pelo não. No registro, Juscelino Filho, Edilázio Jpunior, Gastão 
Vieira, Pastor  Gildenemy e  João Marcelo, todos a favor, com o único 
contrário, Marcio Jerry (C)
Recepção - O Blue Tree Premium Faria Lima abriu as portas, segunda-feira (05), para receber o fórum “Desenvolvimento de Negócios Globais: a importância do respeito mútuo e a maneira de implementá-lo em sua organização”, evento assinado pelo grupo Mulheres do Brasil. A anfitriã do dia foi a empresária Chieko Aoki, presidente da rede que conta com 22 empreendimentos no Brasil, entre hotéis e um resort, totalizando mais de 4 mil apartamentos em 17 cidades de norte a sul do País, como: Bauru (SP), Barueri (SP), Brasília (DF), Caxias do Sul (RS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Joinville (SC), Lins (SP), Londrina (PR), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Santo André (SP), São Luís (MA), São Paulo (SP), Teresina (PI) e Valinhos (SP).

Investimento - A partir deste mês, a B3 oferecerá uma opção de negociação para mini contratos futuros de dólar e de Ibovespa. A Retail Liquidity Provider (RLP) é uma alternativa que permite que a própria corretora, banco de investimento, banco múltiplo ou outro participante contratado pela corretora, pode ser a contraparte das ordens de compra e venda de títulos e valores imobiliários de seus clientes de varejo, promovendo liquidez para o investidor. Com isso, o investidor pode ganhar em aumento de liquidez, volume de mercado, possível descontos em corretagens e execução sempre no preço igual ou melhor ao primeiro na fila do book de ofertas. Para comentar o assunto, sugiro uma entrevista com Vitor Baldi, diretor da Capital Markets, para explicar como funcionará a negociação, quais os benefícios para o investidor, como aderir e quais os impactos no mercado acionário.

Nenhum comentário: