18 de ago de 2019

Sondagem da Fiema aponta para uma retração na atividade industrial maranhense no mês junho

GIRO ECONÔMICO

A Sondagem Industrial do Maranhão, elaborada pela Federação das Indústrias (Fiema) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), indica uma retração na atividade industrial em junho (a terceira do ano), mas, apesar dos percalços, mantém boas expectativas para o terceiro trimestre. Segundo a PNAD trimestral do IBGE, a taxa de desemprego, que diminuiu em relação ao primeiro trimestre de 2019, é de 12%. 

Ainda alto, o desemprego se reflete na redução da renda disponível, ampliada pelo aumento da informalidade no mercado de trabalho e, consequentemente, na redução do consumo, impactando negativamente sobre a demanda interna. O nível de estoque de produtos acima do planejado, 53,3 pontos, confirma a dificuldade do setor industrial de comercializar sua produção. Ainda de acordo com a sondagem, a satisfação com o lucro operacional, rendimento gerado pela operação exclusiva do negócio, está mais elevada no segundo trimestre de 2019.

Participaram da pesquisa indústrias de alimentos, vestuário, couros, derivados do petróleo, biocombustíveis, química, limpeza e perfumaria, plásticos, metalurgia e outros setores no período de 1º a 15 de julho de 2019. 

Imposto - O presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Cláudio Calzavara, está convencido de que o novo modelo de cálculo para cobrança do ITBI poderá provocar uma elevação nos custos de imóveis residenciais e comerciais, pois o valor do imposto terá de ser repassado para o custo final da obra. Desde que passou a adotar informações de Geo Portal, a Secretaria Municipal de Fazenda arbitra o imposto pelo que dizem as imagens de satélite e não a nota fiscal. 

Sesi - Será assinada, quarta-feira (21), a ordem de serviço para construção da nova escola do Serviço Social da Indústria (Sesi), órgão vinculado ao Sistema Federação das Indústrias (Fiema), no Araçagi (Paço do Lumiar). Com salas de robótica, espaços maker e laboratórios de ciências, química, entre outros, a escola terá uma área construída de 10.475.88 m2, e visa a desenvolver uma educação focada na formação de novos perfis profissionais, mais produtivos e voltados para tecnologias e inovação, isto é, indústria 4.0. 

Na abertura da programação dos 165 ano da Associação Comercial
do Maranhão, quarta-feira (14), Felipe Mussalém (ACM), Raimundo
Coelho (Federação da Agricultura), Socorro Noronha (Federação dos
 Lojistas) e Hélio Araújo (Associação Comercial  de Imperatriz)
Hortas - Será lançado nesta segunda-feira (19), na sede Embrapa Cocais o programa Hortas Pedagógicas no Contexto do Pacto Nacional para Alimentação Saudável, ocasião em que haverá apresentação de pôsteres sobre experiências de sucesso em Segurança Alimentar e Nutricional em municípios do Maranhão. 

Reforma - A reforma Tributária começa a ser discutida pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado já na próxima semana. O relator é tucano Roberto Rocha (MA), líder do PSDB na Casa. Segundo ele, “o Brasil deseja há muito tempo uma reforma tributária. Não tem sentido ficarmos com uma carga com esse tamanho para a produção”, afirmou Roberto Rocha. “Temos 35% da carga tributária na indústria, o maior encargo social do planeta e a maior tarifa de energia elétrica. É preciso mudar esse modelo”. 

Trabalhar - Duas empresas do Grupo Equatorial Energia - Companhia Energética do Maranhão (Cemar) e Centrais Elétricas do Pará (Celpa) - receberam a premiação “Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil" na Great Place to Work® (GPTW) - Edição 2019. A Cemar ficou na 33ª posição no ranking, enquanto a Celpa, na 62ª. A Cemar está no ranking pela nona edição consecutiva. Para o seu presidente, Augusto Dantas, permanecer nove anos em um seleto ranking nacional mostra que “estamos no caminho certo".

Nenhum comentário: