16 de set de 2019

Flávio Dino admite deixar PCdoB por um projeto nacional e acha possível uma chapa em 2022 sem o PT na cabeça

Na entrevista concedida ao Canal Livre da Rede Bandeirantes, neste domingo (15), o governador Flávio Dino admitiu que pode trocar o PCdoB por outra legenda do centro esquerda para formação de uma ampla aliança com vistas à sucessão de Jair Bolsonaro em 2022. Ponderou, porém, que não tomará esta decisão sozinho, mas num amplo debate interno, ou seja, não vai dizer "até logo" sem apresentar uma justificativa que seja boa, inclusive, para seu atual partido.

Flávio Dino disse ainda que acredita na possibilidade de formação de coligação sem a necessidade de um candidato do PT como cabeça de chapa, porém não vê com simpatia uma campanha contra o legado petista, pois, segundo ele, lulismo e trabalhismo precisam caminhar juntos.

Provocado se concorda com as teses levantadas pelo ex-governador do Ceará Ciro Gomes (candidato derrotado na eleição de 2018), disse que em muitos temas concorda, principalmente pelo que fez em termos de educação, saúde e outras ações em seu estado, mas não endossa as críticas ao PT e ao ex-presidente Lula.

Sem se colocar como possível candidato, governador do Maranhão entende que a formação de uma ampla frente democrática não exclui políticos do centro e quem mais quiser somar. Observou, no entanto, que a sucessão presidencial está sendo debatida como se o governo de Jair Bolsonaro já estivesse no fim, "e ele está apenas começando".

Para ele, a junção de várias forças contrárias ao atual governo vai garantir a vitória em 2022, e isto deve começar a partir do próximo ano, com as eleições municipais. Leia mais em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: