27 de out. de 2019

Trecho ferroviário entre Balsas e Porto Franco pode facilitar escoamentos de grãos do sul do estado

GIRO ECONÔMICO

O presidente da Federação das Indústrias (Fiema), Edilson Baldez, e o vice-governador Carlos Brandão estiveram reunidos em Brasília com o diretor de Relações Governamentais da Vale, Luiz Ricardo Santiago, a quem pleitearam ações em favor do setor industrial maranhense, dentre elas, maior participação das empresas locais nas contratações de serviços e material de consumo daquela empresa. A Fiema reivindicou a implantação do ramal ferroviário Porto Franco/Balsas, a título de compensação ao Maranhão pela prorrogação do prazo de exploração da Estrada de Ferro Carajás (EFC), até 2057. A Relações Governamentais da Vale no Maranhão, Vanessa Tavares, também participou da reunião. 

A Fiema já havia pedido que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) colocasse esse item como compensação financeira da exploração da Estrada de Ferro Carajás por mais três décadas no seu território.

Para o vice-governador, o novo ramal é estratégico e representa economia e desenvolvimento para o Estado. “Com o projeto pronto, teremos uma grande economia de frete para os produtores rurais do sul do estado, além de reduzir a despesa com manutenção de rodovias”, ressaltou. Leia mais em MARANHÃO HOJE.

Turismo - O presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), João Barros Filho, está preocupado com os números do turismo, pois desde junho, isto é, já na alta temporada, a ocupação hoteleira não passa dos 60%. Para ele, enquanto não houver investimento pela balneabilidade das praias locais o turismo vai continuar se arrastando. Aos que contestam, porque não haveria como competir com Fortaleza, Natal, Maceió etc, ele responde que há anos a cidade perde para Petrópolis, Ouro Preto, Salvador e outros destinos históricos. 

Agropecuária - Pela primeira vez, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aplicou no Censo Agropecuário um quesito para identificar raça e cor dos que trabalham nas empresas de agropecuária. De acordo os números divulgados nesta sexta-feira (25), sobre quem dirige os empreendimentos rurais, o resultado foi o seguinte: brancos 45,4%; pretos 8,4%; amarelos 0,6%; pardos 44,5% e indígenas 1,1%. Sobre quem trabalha a terra, há uma inversão: 52,8% são pretos ou pardos e 45,4% brancos. 

No estande da Federação da Agricultura, na Expoema, o presidente
Raimundo Coelho (D), o vice-governador Carlos Brandão e
o presidente da Gasmar, Deoclides Macedo, degustando
a cachaça 'Reserva do Zito', produzido em Passagem Franca
 
Contaminação - A Câmara dos Deputados aprovou, quinta-feira (24), a criação de uma comissão externa para avaliar a contaminação do litoral do Nordeste por petróleo derramado em alto mar. Desde setembro, a contaminação já atingiu 78 municípios de nove estados e ainda não teve a origem identificada. 

Turismo - O governo federal anunciou, nesta sexta-feira (25) a liberação de R$ 200 milhões para socorrer empresas de turismo – bares, restaurantes, pousadas etc – localizadas em áreas atingidas pelo óleo lançado no litoral nordestino e outra de R$ 130 milhões para socorrer os pescadores que estão com suas atividades prejudicadas. Embora não tenha índices elevados de contaminação, o Maranhão pode ser contemplado com ambas linhas de crédito, haja vista ter 12 pontos afetados, dentre dois destinos turísticos; São Luís e Lençóis. 

Conhecimento - Alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MA) fizeram na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2019, realizada na Casa do Maranhão, em São Luís uma demonstração de conhecimento em soluções para indústrias e capacitações nas áreas de Alimentos, Edificações e Segurança do Trabalho. Para o diretor regional do órgão, Raimundo Arruda, que esteve presente na cerimônia de abertura, destacou a importância do evento para difundir as novas capacitações que estão se formando.

Nenhum comentário: