26 de jan. de 2020

Comunidades indígenas da região do Pindaré recebem cozinhas tradicionais financiadas pela mineradora Vale

GIRO ECONÔMICO

Três cozinhas tradicionais com redários foram entregues a comunidades indígenas maranhenses, semana passada, nas aldeias de Areinha, Novo Planeta e Nova, pertencentes à Terra Indígena Rio Pindaré, localizada no município de Bom Jardim. A ação faz parte do Plano Básico Ambiental Componente Indígena Awá e Guajajara das Terras Indígenas Carú e Rio Pindaré (PBACI), e integra o processo de licenciamento da duplicação da Estrada de Ferro Carajás, da Vale, que é acompanhado pelo Ibama e Funai. 

Leia mais:
Comunidades indígenas ganham da mineradora Vale cozinhas tradicionais com redário

A cozinha tradicional foi pensada e implementada com técnicas da bioarquitetura, que é uma vertente da arquitetura que prioriza o uso de conceitos coerentes com o pensamento ecológico, buscando técnicas e soluções de baixo impacto ambiental para a preservação dos recursos naturais e saúde dos usuários. Cada uma é composta por fogão e forno a lenha, bancada com duas cubas, além de utensílios para o preparo dos alimentos, como panelas, facas, tábuas, colheres, jarras, tigelas.

Outras duas aldeias ainda vão receber cozinhas tradicionais, que fazem parte do Plano Básico Ambiental Componente Indígena Awá e Guajajara das Terras Indígenas Carú e Rio Pindaré (PBACI).

Chuvas favorecem agricultura - O período de chuvas no país neste início do ano está favorecendo a evolução das principais culturas agrícolas de verão. Nas regiões de maior concentração de cultivo, como o Centro-Oeste, Sudeste, parte do Sul e do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) o regime pluvial proporcionou bom desenvolvimento das lavouras. As áreas que apresentam anomalias negativas devido à falta de chuvas são, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rio Grande do Sul, Piauí e Bahia.

Leia mais:
Boa concentração de chuvas nas principais regiões agrícolas favorece safra de grãos

Egressos do Senac - O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) realizou, nesta sexta-feira (24), o Encontro de Egressos 2020, com participação de cerca de 570 ex-alunos das áreas de Beleza, Gastronomia, Informática, Saúde, Gestão, Comércio e Comunicação. Durante as atividades, participaram de oficinas de hambúrguer gourmet, dicas de maquiagem, redes sociais como ferramenta de marketing, relacionamento com o cliente, Excel avançado, Power Bi, entre outras a fim de aprimorarem seus conhecimentos. 

Leia também:
Senac realiza encontro com ex-alunos para orientá-los sobre oportunidades de trabalho ou negócios

Na solenidade de posse da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), o
presidente da Fiema, Edilson Baldez, com os presidentes das federações
da Bahia, Antônio Albano; do Ceará, Ricardo Cavalcante; do Diustrito
Federal, Jamal Bittar; e o representante do Mato Grosso e vice-presidente
 da CNI, Jandir José Milan
Desempenho do emprego - Apenas um setor, Comércio, teve saldo positivo na geração de empregos no Maranhão em dezembro, assim como uma quantidade inexpressiva: 170. Já o pior desempenho foi de Serviço, que teve um saldo negativo de 1.620 postos de trabalho fechados. 

Leia mais:
Mais de 600 mil empregos foram gerados no Brasil em 2019, segundo números do Caged

Posse do Piauí - O presidente da Federação das Indústrias do Maranhão, Edilson Baldez, participou, quinta-feira (23), em Teresina (PI), da posse da nova diretoria da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi). Também participaram, dentre outras personalidades, o presidente da Federação do Rio Grande do Norte, Amaro Sales, que representou o presidente da CNI, Robson Braga, o governador Wellington Dias, o prefeito de Teresina, Firmino Filho, e os senadores Elmano Ferrer; Ciro Nogueira; Marcelo Castro. 

Pacto por edificação - O Tribunal de Justiça e a Universidade Federal do Maranhão estão firmando parceria para instalação do Laboratório de Edificações e Eficiência Energética, que terá como uma de suas atividades a certificação das obras de reforma e construção do Judiciário maranhense. Com a parceria, o Judiciário diminuirá custos com a contratação de terceiros para ter obra certificada como sustentável, a exemplo da reutilização de água, acessibilidade, energia fotovoltaica e eólica e outras para o desenvolvimento sustentável.

Nenhum comentário: