27 de jan. de 2020

Flávio Dino vai percorrer o Brasil para mostrar que "ser comunista" não passava de fantasia de carnaval

Quem veio a São Luís em 2019 para participar das brincadeiras de carnaval pôde assistir a uma das maiores encenações contra o verde e amarelo que dominam os movimentos em favor do presidente Jair Bolsonaro e contra o ex-presidente Lula e seus aliados. Quem não veio também assistiu às cenas, em fotos e vídeos fartamente distribuídos pelas redes sociais.

Fantasiado de comunista, o governador Flávio Dino estava na avenida com um boné ao estilo dos revolucionários cubanos liderados por Fidel Castro e usando nas mãos os adereços da foice e do martelo que simbolizam o comunismo no mundo inteiro.

Leia mais:
Flávio Dino vai antecipar saída do governo para poder cumprir agenda do Movimento 65 no país?

Este ano, porém, "o carnaval vai ser como aquele que passou" e é bom provável que estas cenas não se repitam. Segundo sites e blogs que defendem partidos e movimentos ditos de esquerda, em breve o governador Flávio Dino vai iniciar uma peregrinação pelo Brasil para difundir o Movimento 65, nova identidade do Partido Comunista do Brasil (PCdoB),  ao qual é filiado e uma das maiores lideranças, que tem como principais diferenciais a exclusão do símbolo usado pelo governado nas festas de Momo e a substituição do vermelho pelo verde amarelo.

A estratégia de Flávio Dino, com esta inclinação para a direita, já incomoda alguns segmentos da esquerda, e pode ser até que se alguém perguntar sobre seus ideais de esquerda, diga que aquilo não passou de uma fantasia de foliãã, mas como diria Moraes Moreira, é no carnaval que cada quer ser o que é.

Leia mais
Sociólogo e ativista de esquerda critica inclinação de Flávio Dino para a direita

Nenhum comentário: