15 de jan. de 2020

Glenn Greenwald protesta contra não participação do Intercept no Roda Viva como se pudesse pautar o Brasil

É impressionante como o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, diretor do site The Intercept Brasil, se sente no direito de querer pautar o Brasil e se colocar no centro de todos os debates da vida nacional, só porque publicou uma série de diálogos de membros da Força Tarefa da Lava Jato, cujo conteúdo é questionado pelas pessoas atingidas (procuradores e juízes).

Nesta terça-feira (14), ele protestou pelo Twitter contra o fato de nenhum jornalista do seu veículo ter sido convidado para participar da entrevista com o ministro da Justiça, Sergio Moro, segunda-feira (21), no Roda Viva da TV Cultura, que marcará a estréia da jornalista Vera Magalhães como âncora do programa.

Para Glenn, "seria indesculpável e covarde" o Roda Viva não convidar o Intercept para essa entrevista e acusou ainda a imprensa de ter "medo de Sergio Moro".

Leia mais:
Estreia de Vera Magalhães no Roda Viva será com Sergio Moro

Eis algumas de suas postagens:

"Seria indesculpável e um tanto covarde para @rodaviva permitir que Sergio Moro aparecesse sem colocar um jornalista da @TheInterceptBr no painel para participar da discussão. #InterceptNoRodaViva"
"É muito óbvio que convidar um jornalista da @TheInterceptBr para participar da entrevista de Sergio Moro explodiria a audiência desse programa. A única razão para não fazer isso é o medo de Moro e deixá-lo — escandalosamente — ditar quem está lá. #InterceptNoRodaViva"

"Um grande problema é que a maioria das instituições brasileiras - incluindo a grande mídia - tem tido medo de Sergio Moro e o tratava como um herói. Muitos, liderados pela Folha e Veja, reconheceram isso. Deixá-o no @RodaViva sem sérios desafios repetiria essa desgraça".

Das muitas respostas que recebeu, destaco a de Marcelo Tass, para quem é difícil encontrar um estacionamento com tamanho para guardar o ego de Glenn.

Nenhum comentário: