9 de jan. de 2020

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Qual sua opinião sobre um governo que pede um terreno à União para fazer uma obra de interesse público e depois de recebido entrega a uma empresa para explorá-lo comercialmente? 


Leia mais:
Governo do Estado transfere para uma empresa privada terreno recebido da União para construir estacionamento público no Aterro do Bacanga

4 comentários:

Fernando disse...

O Governo não deu o terreno, apenas cedeu onerosamente. Ora, porque o mesmo pode ser feito com estradas, portos, aeroportos, etc, e não pode ser feito com um simples espaço? inclusive , de extrema importância a comunidade.

Aquiles Emir disse...

Simples assim, Fernando: uma concessão de rodovia, porto, aeroporto, estádio etc é com base em licitação, ou seja, o cedente público recebe várias propostas e escolhe a melhor. Neste caso, o governo pediu à União um terreno dizendo que ele iria prestar serviço de graça, mas escolheu, não se sabe por quais critérios, uma empresa para vender esse serviço.

Fernando disse...

A escolha, apesar de feita de forma célere, foi aberta e democrática. Vide site MAPA. Eu cheguei a estudar a possibilidade de concorrer, mas me abstiveram por considerar o negócio duvidoso, do ponto de vista do retorno do investimento.

Aquiles Emir disse...

E por que o Governo do Estado não informou à Secretaria de Patrimônio da União que o terreno cedido pela União iria ser licitado?