18 de fev. de 2020

Endividada em mais de R$ 150 milhões, Foco Agronegócios, com filial em Balsas, pede recuperação judicial

Resultado de imagem para foco agro balsas
GIRO ECONÔMICO

A Foco Agronegócios S/A, empresa com atuação no Maranhão por meio de uma unidade em Balsas (Sul do Estado), protocolou, esta semana, o pedido de recuperação judicial. Com dívidas que superam R$ 150 milhões, a empresa já enfrentava problemas desde a Safra de 2015/16, ano em que uma forte seca atingiu o Maranhão, Bahia, Piauí e Tocantins, que formam a fronteira agrícola Matopiba. O pedido foi feito pelo advogado Antonio Frange Júnior, que trabalha exclusivamente com recuperação judicial, tendo feito quase 300 em todo o país. Em seu pedido, Frange destaca que o grupo colaborou com a ampliação do setor agrícola de Guaraí, Palmas e grande região tocantinense, abrangendo inclusive os estados do Pará, Bahia e Maranhão, gerando empregos e outros benefícios na região. 

A empresa, que surgiu em 2012, no município de Guaraí (TO), teria passado pelos primeiros problemas financeiros em 2015, atingida pela seca de 45 dias, que afetou a Safra e a Safrinha, fazendo com que sofressem com a alta inadimplência dos produtores.

Em seguida, a Focoagro voltou a enfrentar problemas em 2018, com a greve nacional dos caminhoneiros, que dobrou o preço do frete. 

Parada para deficientes - Tramita na Câmara Federal projeto de lei de número 6595/19 e de autoria do deputado pelo Maranhão Dr. Gonçalo (Republicano) que torna obrigatória a parada de transporte público em qualquer lugar quando solicitada por pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. O texto cita pessoas com deficiência, com síndromes, anemia falciforme, câncer e doenças raras. Segundo o autor, a lei vai beneficiar milhares de pessoas com deficiência que necessitam de locomoção para se tratarem. 

Regras da Construção - As empresas de construção civil já podem contrair crédito imobiliário da Caixa Econômica com juros mais baixos, conforme regras anunciadas dia 12 pelo banco e que entraram em vigor nesta segunda-feira (17). O banco reduziu as taxas das operações corrigidas pela Taxa Referencial (TR) e anunciou duas linhas de crédito para o setor da construção civil, indexadas pela inflação ou pelo certificado de depósito interbancário (CDI) e as taxas de juros serão definidas de acordo com perfil e relacionamento da empresa. 

Na reunião para firmar parceria entre Sesi e BRK, o diretor do órgão,
Raimundo Arruda, com Juliana Motta (comunicação BRK), Amanda
Cardoso (responsabilidade social BRK), Marcelo Hagge (administrativo
financeiro BRK), e os colaboradores Ivan Roberts Pereira da Silva,
Rogério Garcês e Keila Amorim
Custo da prisão - O Senado deve votar nesta terça-feira (18) projeto de lei que torna obrigatório ao detento custear as despesas do estado com sua permanência em unidade prisional, o que poderá ser compensado tanto com dinheiro, pago pela família, quanto por trabalho do condenado. 

Parceria  com o Sesi - A BRK Ambiental, empresa que explora os serviços de abastecimento d´água e esgoto em Paço do Lumiar e São José de Ribamar, vai renovar a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) com vistas a continuidade de realização de cursos para formação e capacitação de encanador a fim de garantir aos consumidores serviços de melhor qualidade. O assunto foi tratado sexta-feira (14) pelos diretores da concessionária, José Mário Ribeiro, e do Senai, Raimundo Arruda. 

Carteira estudantil - Por omissão dos deputados federais – são 18 pelo Maranhão – a Medida Provisória que instituiu a Carteira Estudantil digital, portanto gratuita, caducou e a partir desta segunda-feira (17) voltou a ser emitida pela União Nacional dos Estudantes (UNE) ao preço de R$ 30,00, renovável anualmente, enquanto a criada pelo governo durava pelo tempo que o portador fosse estudante. Nenhum “defensor” dos estudantes quis levantar essa bandeira, e assim quem precisa de meia passagem, meia entrada etc terá que pagar para ter esse direito.

Nenhum comentário: