23 de fev. de 2020

Pesquisa desenvolvida pela Embrapa possibilita aumentar e melhorar a produção da mandioca no Maranhão

GIRO ECONÔMICO

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cocais) está desenvolvendo um projeto de pesquisa e transferência de tecnologia para melhorar a produtividade das lavouras de mandioca e a qualidade das raízes, matéria–prima para a produção de farinha e da cerveja Magnífica. A demanda é da Cervejaria Ambev para que sejam testados 250 clones e 12 cultivares da Embrapa, além de variedades locais já usadas pelos produtores do estado, para selecionar genótipos com alto teor de amido. 

O projeto intitulado “Tecnologia para aumento da produtividade e qualidade (teor de amido) da mandioca no estado do Maranhão”, além de selecionar genótipos adaptados para as mais diferentes condições edafoclimáticas do Maranhão, inclui o treinamento de agricultores, técnicos e multiplicadores em mecanização da cultura, manejo da mandioca, cooperativismo, associativismo e empreendedorismo comunitário e ainda produção de manivas sementes.

Além da Ambev, são parceiros nesse projeto a Embrapa Mandioca e Fruticultura – pela expertise em melhoramento genético da mandioca -, a Embrapa Amapá – pela expertise em mecanização da cultura – e a Fundação Eliseu Alves. 

Odontologia do Sesi - O Serviço Social da Indústria (Sesi) iniciou esta semana em pequenas e médias empresas da capital, o projeto “Indústria segura e saudável”, que promove o atendimento odontológico dos trabalhadores, que tem acesso aos serviços como exame clínico e profilaxia dentária (processo de limpeza e conservação dos dentes para evitar que doenças odontológicas se instalem e tornem mais difícil o tratamento), que são ofertadas pela Unidade Móvel Odontológica do Sesi, dentro da categoria in company. 

Leia mais:
Sesi leva serviços de odontologia para trabalhadores de empresas do setor industrial


Contratações do Senac  - O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) lançou edital com abertura de Processo Seletivo para contratação de servidores para o quadro efetivo e de reserva, com lotação na cidade de Pinheiro. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, no site: http://seletivo.ma.senac.br/, nos dias 02 e 03 de março. As vagas são para os cargos de supervisor educacional; assistente de manutenção e instalação; assistente administrativo; serviços operacionais (limpeza e recepção).

Leia mais
Senac contrata servidores para sua unidade em Pinheiro com salários de R$ 1,9 mil a R$ 4,4 mil


No lançamento do programa Senac Comércio, o palestrante Wiliam
Caldas (C) com o presidente da Federção do Comércio, José Arteiro
da Silva (E), e o diretor regional do Senac, José Ahirton Lopes
Carnaval do Sesc - Será realizada, neste domingo (23) e na segunda-feira (24), no Sesc Turismo do Olho d´Água em São Luís, a tradicional programação carnavalesca do Serviço Social do Comércio, com realização da Matinê Folia e o Baile Sesc Folia do Fofão. 

Mídia Social - Para orientar como funciona o ranqueamento do Google e as vantagens do Search Engine Optimization (SEO) também conhecido como otimização de sites, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), porgão vinculado ao Sistema Fiema, promove dias 6 e 7 de março o curso Marketing Digital nas Mídias Sociais com a professora de Marketing Digital Maria Carolina Avis, autora do livro “SEO de verdade: se não está no Google, não existe”. O curso abordará também o cenário das mídias sociais no Brasil e no mundo. 

Qualificação profissional - O Consórcio Alumar certificou 155 alunos de qualificação profissional pelo Projeto de Responsabilidade Social da Área de Disposição de Resíduos de Bauxita. As aulas, ministradas em parceria com o Senai, foram realizadas nas comunidades de Igaraú, Vila Piçarreira, Vila Rica, Mangue Seco, Pedrinhas, Vila Natal e Vila Cabral Miranda. Foram oferecidos cursos de assistente administrativo, auxiliar de obras, operador de caminhão basculante, carpinteiro de forma, soldador, pedreiro de alvenaria e logística.

Leia mais:
Senai capacita mais de 150 pessoas residentes na área do entorno do Consórcio Alumar



Um comentário:

Unknown disse...

Por deseo de diversidad o por intolerancia, cada vez más consumidores buscan alternativas a la harina de trigo. Si bien algunas de estas alternativas, como la harina de arroz o de maíz, surgen con regularidad, otras menos difundidas, como la harina de mandioca, deben ser más conocidas.
La mandioca es un arbusto perenne (que puede vivir varios años) que se cultiva en las regiones tropicales. Originaria de América del Sur, donde se ha utilizado durante miles de años, se ha importado al continente africano, donde se ha convertido en un alimento básico de la cocina local: El consejo de María.
Entre las docenas de variedades de mandioca, se dice que la mayoría de ellas son amargas y sólo pueden comerse una vez que han sido lavadas y hervidas para eliminar el ácido cianhídrico altamente tóxico que contienen las raíces. La mandioca dulce, por otro lado, se puede comer cruda.
Las raíces de yuca, que son muy ricas en almidón, se utilizan para hacer harina. Una alternativa interesante a la harina de trigo, con un aspecto muy similar, este almidón está seduciendo cada vez a más consumidores atentos a su dieta. Concéntrese en tres (muy) buenas razones para cocinar la harina de mandioca.