5 de abr. de 2020

Máscaras para proteção do coronavírus são distribuídas a portadores de HIV, câncer e tuberculose em São Luís

Covid-19: Produtora angolana de máscaras diz ter "matéria-prima ...GIRO ECONÔMICO

Contando com a disponibilidade de comerciantes de armarinhos para fornecimentos de matéria prima, mesmo estando proibidos de funcionar, o grupo Covid-19 Maranhão, coordenado por Célia Dino, Lucely Murad e Thatiana Bandeira está mandando confeccionar para distribuir entre pessoas diagnosticadas com HIV, câncer e tuberculose mais de 10 mil máscaras de proteção contra o coronavírus. 

Além da distribuição de máscaras, as voluntárias estão arrecadando alimentos para serem distribuídos entre trabalhadores informais que ficaram sem renda por conta do isolamento social. Embora reconheça a necessidade de todos se protegerem neste momento, Célia Dino diz que o público alvo desta ação é formado por pessoas que realmente dependem de proteção, pois estão com o organismo fragilizados e caso haja contaminação pelo Covid-19 os riscos são potencializados.

Sobre a relação com os comerciantes, ela diz que são formados pequenos grupos, com agendamos, para fazer as compras sem aglomeração, sem colocar em risco a vida de ninguém, “ até porque vamos também protegidas por máscaras", diz ela. 

Comércio fechado - O Governo do Estado deve intensificar, a partir desta segunda-feira (06), as fiscalizações com vistas a inibir os comerciantes, que, mesmo diante dos riscos evidentes do coronavírus, teimam em abrir em seus estabelecimentos que estão no segmento não essencial. Neste fim de semana, em diversos bairros de São Luís lojas de todos os ramos foram flagradas funcionando total ou parcialmente, apesar de novas medidas terem sido baixadas para tornar ainda mais rigoroso o isolamento social. 

Psicologia - Oferecer suporte psicológico durante o distanciamento social ocasionado pelo coronavírus no Maranhão, diminuindo seu impacto na saúde mental é o objetivo do Acolhimento Psicológico na Pandemia de COVID-19, desenvolvido pelo Serviço Social da Indústria do Maranhão (Sesi), órgão do Sistema Fiema. Iniciado semana passada, o atendimento a distância deve ser solicitado via mensagem de celular, sendo a consulta com um psicólogo realizada por chamada telefônica, no dia e hora marcados. 

Presidente do Sistema Fiema, Edilson Baldez, em recente evento com
o governador Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão (D), não
esconde sua preocupação com a situação financeira de Sesi e Senai
com corte na contribuição das empresas
Bancos devem pagar mais - Os bancos devem pagar mais imposto para ajudar o país a superar a crise provocada pela pandemia do coronavírus. É o que propõe projeto de lei apresentado pelo senador Weverton (PDT-MA). O PL 911/2020 aumenta a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) do setor de 20% para 50%. 

Operação portuária - O Terminal Portuário São Luís, controlado pela VLI, e que auxilia o escoamento de insumos pelo Porto de Itaqui, mantém a sua atividade regular de movimentação de cargas e reforçou medidas preventivas e de contenção para mitigar os impactos da pandemia da Covid-19. Todas as ações estão em linha com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e órgãos locais. Ponta de um sistema que integra terminais, ferrovia e portos, o terminal responde por cerca de 40% da soja exportada pelo Porto do Itaqui e embarcou 4,1 milhões de toneladas de grãos em 2019, além de ferro gusa e manganês. 

Aplicativo de vouche - A partir de terça-feira (07), vai ser possível baixar um aplicativo lançado pela Caixa Econômica Federal que permitirá o cadastramento para recebimento da renda básica emergencial, de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil, no caso de mães solteiras. O banco também lançará uma página na internet e uma central de atendimento telefônico para a retirada de dúvidas e a realização do cadastro. O próprio aplicativo avaliará se o trabalhador cumpre os cerca de dez requisitos exigidos pela lei para o recebimento da renda básica.

Nenhum comentário: