6 de abr. de 2020

Pequenas indústrias de roupas poderiam ser demandadas pelo Governo do Estado para confecção de máscaras

O governador Flávio Dino (PCdoB), que tem baixado decretos impondo isolamento social para conter os avanços do coronavírus, bem que poderia lançar uma ação para amenizar a crise enfrentada pelas micro e pequenas indústrias de confecções, malharias etc, costureiras autônomas etc, encomendando a confecção de máscaras para evitar a contaminação pelo covid-19.

A procura por esses protetores aumentou significativamente desde a última quinta-feira (02) após o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, ter recomendado o seu uso, pois, mesmo não tendo o mesmo efeito das usadas em hospitais, evitar que uma pessoas contamine outra, mas com troca da peça para hogienzação, o que obrigara uma pessoa ter pelo menos três,  e hoje uma máscara de pano ou malha está custando em média R$ 5,00, mas ainda assim não é fácil encontrar, já que a produção é em baixa escala.

Uma contratação em massa poderia demandar as pequenas indústrias para fornecer máscaras, sob orientação da Secretaria de Saúde, para serem distribuídas na periferia, feiras, canteiros de obras, entre motoboys e outros que têm contatos com o público e precisam trocar essas peças com mais intervalos, até pela atividade que desempenha. 

Só para que se tenha ideia, uma ação de um grupo de voluntárias, liderado por Célia Dino, Lucely Murad e Thatiana Bandeira está resultando na confecção de mais de 10 mil peças, e isto porque vai atender apenas pacientes de HIV, câncer e tuberculose,

Leia mais

Nenhum comentário: