1 de mai. de 2020

Correria aos supermercados se deu porque lockdown foi anunciado na noite da véspera de um feriado

GIRO ECONÔMICO

Depois de ter sido tranquilizada na quarta-feira (29) com a informação oficial do Governo do Estado de que as notícias sobre um possível isolamento das cidades de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar, eram falsas, a população foi surpreendida nesta quinta-feira (30) à noite com a decisão do juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, Douglas Martins, para que o Governo do Estado decrete as determinações que haviam sido negadas pelas autoridades, e isto provocou uma desnecessária corrida aos supermercados.

Leia mais

O juiz tomou sua decisão com base numa ação de promotores dos quatro municípios, que por sua vez dizem ter se fundamentado  num estudo da Fiocruz que aponta o Maranhão como um dos estados onde a pandemia mais avança e mesmo assim a população não tem contribuído cumprido sia quarentena em casa.

Por mais que tenha boa intenção na sua decisão, juiz escolheu um péssimo momento para fazer o anúncio, o fim de tarde de um feriado e isto causou a desnecessária correria aos supermercados, o que deve se repetir neste fim de semana e na segunda-feira (04), véspera da entrada em vigor das normas de isolamento.

Ajuda da saúde - O Ministério da Saúde vem adotando uma série de medidas de prevenção e tratamento do covid-19 em todo o país. E para exemplificar melhor essas ações, o ministro Nelson Teich participou de videoconferência com senadores, quarta-feira (29), quando abordou as principais estratégias desenvolvidas pelo Governo Federal para apoiar os estados e municípios. Segundo ele, foi feita uma distribuição de recursos para que todas as regiões do Brasil pudessem reestruturar suas redes de saúde. “No total, já foram pagos R$ 2,5 bilhões de Emendas Parlamentares para todos os estados. E até a primeira semana de maio a gente vai ter a liberação de mais R$ 1 bilhão  para auxiliar esse trabalho.

Serviços bancários - Há quase dois meses,  desde quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do coronavírus, incluindo o Brasil na lista de países com registros da doença, os bancários da Caixa Econômica Federal reivindicam à direção do banco a garantia de cobertura da assistência de saúde e psicológica para todos os trabalhadores da instituição. Apesar dos riscos de contaminação, os empregados se mantém dedicados ao atendimento à população em todo o país; inclusive, na linha de frente das agências. "É responsabilidade da Caixa assegurar que todos os empregados tenham plano de saúde e cuidar do bem-estar dos trabalhadores", defende o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira.

Funcionários da Caixa Econômica relamam dos
Riscos a que estão submetidos com a superlotação
de agências para pagamento de auxílio emergencial
Remuneração da Vale - A Vale vai dobrar a remuneração de sua diretoria executiva em 2020. A matéria foi aprovada nesta quinta-feira (30), por maioria, em Assembleia-Geral Ordinária, sob protestos de alguns acionistas minoritários. O orçamento previsto para pagar a diretoria é de R$ 170,3 milhões, o que levará a remuneração ao mesmo patamar de 2018.

Financiamento de energia - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou o financiamento de R$ 1,13 bilhão para apoio do plano de investimentos da Equatorial Energia em Alagoas e no Piauí até dezembro de 2023. Desse total, R$ 643 milhões serão destinados à Equatorial Piauí e R$ 491,4 milhões à Equatorial Alagoas, respectivamente. Segundo a assessoria de imprensa do BNDES, as duas empresas são resultado dos leilões de venda das companhias energéticas do Piauí (Cepisa) e de Alagoas (Ceal), realizados em 2018. O processo de desestatização das companhias foi modelado pelo banco.

Incerteza da economia - O Indicador de Incerteza da Economia, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 43,4 pontos de março para abril deste ano. O resultado veio depois de uma alta de 52 pontos na passagem de fevereiro para março. Com isso, atingiu 210,5 pontos, seu recorde histórico pelo segundo mês consecutivo e ficou 73,7 pontos acima do recorde antes da pandemia da covid-19 (136,8 pontos, em setembro de 2015), segundo a Fundação Getúlio Vargas. Em abril, os dois componentes do indicador subiram fortemente. O componente de mídia, baseado na frequência de notícias com menção à incerteza, aumentou 34,3 pontos e foi para 195,3 pontos, maior nível da série histórica.

Nenhum comentário: