30 de jun. de 2020

Assim como Carlos Decotelli, Dilma Rousseff maquiou currículo com diplomas inexistentes de mestre e doutora

Carlos Decotelli, figura  central do novo escândalo envolvendo o Ministério da Educação, não é o primeiro a maquiar currículo para valorizar seu ingresso na vida pública. A ex-presidente Dilma Rousseff, que foi ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, admitiu em julho de 2009, que cumpriu todos os créditos dos cursos de mestrado e doutorado, mas reconheceu que havia erros no seu currículo em que era apresentada como detentora de diplomas de meste e doutora.

A Casa Civil havia dado informações erradas sobre o currículo de Dilma, mencionando um mestrado e um doutorado que ela havia cursado na Universidade de Campinas (Unicamp), mas no banco de dados da instituição havia apenas matrículas.

Dilma disse à época, tal como Decotelli agora, que, apesar de ter cumprido todos os créditos dos cursos, não apresentou a dissertação e a tese porque havia assumido cargos públicos.  “Em 2000, eu era secretária de Minas e Energia (no Rio Grande do Sul), não tinha mais interesse em vida acadêmica. E quando preenchi a ficha, eu era doutoranda".

Mesmo com as inconsistências curriculares, além de secretária, ocupou dois ministérios nos governos de Lula e foi eleita duas vezes presidente da República. Leia mais aqui.


Nenhum comentário: