15 de jun. de 2020

Em carta a Celso de Mello, oficiais da Força Aérea dizem que nenhum militar age de forma que mereça ser chamado "general de merda" por quem o promoveu

Militares divulgam novo manifesto contra Celso de Mello, do STF ...Num documento enviado ao ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello, um grupo de oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB) faz duras críticas ao magistrado, que seria dono de um "discurso enfadonho".

Num dos trechos mais duros, os militares dizem que "nenhum Militar, quando lhe é exigido decidir matéria relevante, o faz de tal modo que mereça ser chamado, por quem o indicou, de general de merda", numa menção à passagem narrada pelo ex-advogado Saulo Ramos, que no livro O Código da Vida diz que teria chamado o ministro de "juiz de merda" porque votou contra a admissão do domicílio eleitoral de José Sarney no Amapá, só para contrariar uma projeção da Folha de São Paulo, que o apontava como voto certo, já que tinha sido indicado por Sarney para a Suprema Corte, onde o caso foi julgado.

Leia o manifesto enviado por militares a Celso de Mello:

Ao Sr. José Celso de Mello Filho.

Ninguém ingressa nas Forças Armadas por apadrinhamento.

Nenhum Militar galga todos os postos da carreira, porque fez uso de um palavreado enfadonho, supérfluo, verboso, ardiloso, como um bolodório de doutor de faculdade.

Nenhum Militar recorre à subjetividade, ao enunciar ao subordinado a missão que lhe cabe executar, se necessário for, com o sacrifício da própria vida.

Nenhum Militar deixa de fazer do seu corpo uma trincheira em defesa da Pátria e da Bandeira.

Nenhum Militar é comissionado para cumprir missão importante, se não estiver preparado para levá-la a bom termo.

Nenhum Militar tergiversa, nem se omite, nem atinge o generalato e, nele, o posto mais elevado, se não merecer o reconhecimento dos seus chefes, o respeito dos seus pares e a admiração dos seus subordinados.

E, principalmente, nenhum Militar, quando lhe é exigido decidir matéria relevante, o faz de tal modo que mereça ser chamado, por quem o indicou, de general de merda.

Rio de janeiro, 13 de junho de 2020

(Com informações do Correio Braziliense)

Nenhum comentário: