26 de jul. de 2020

Flávio Dino defende atos do ministro Alexandre de Moraes e critica Jair Bolsonaro por questioná-los no Supremo

Uma boa economia protege, em primeiro lugar, a vida de todos”, diz ...O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que recusa o entendimento de que o ex-presidente Lula seja criminoso porque ainda não foi julgado em última instância do Judiciário, ou seja ainda não houve o transitado em julgado, mudou o discurso neste sábado (25) ao chamar de criminoso quem ainda está na fase de investigação num processo questionável sobre supostos crimes.

Tão logo tomou conhecimento de que o presidente Jair Bolsonaro foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) questionar os atos do ministro Alexandre de Moraes, que mandou tirar do ar perfis na internet de simpatizantes ao governo, disse que não é papel do presidente proteger criminosos.

De criminosos, o governador chama todos os censurados por virem expressando opiniões a favor do governo federal e/ou questionando seus adversários e membros do STF, como é o caso do presidente nacional do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson. A censura foi a pretexto de combater fake news, porém o que o ministro fez foi silenciar opiniões, já que era um dos principais alvos das críticas de Jefferson e outros censurados. Neste processo, aberto no Supremo, Moraes é quem investiga e julga.

Bolsonaro se fundamentou no Artigo 5º da Constituição Federal, que trata dos direitos e garantias fundamentais, para mover a ação no STF, mas contra a qual se levantou o governador do Maranhão. 

Disse Flávio Dino em seu comentário no Twitter, repercutido em vários sites e blogs:

1. Liberdade de expressão não protege cometimento de crimes.
2. Executar campanhas de calúnias e ameaças é coisa de criminoso.
3. Não é papel do presidente da República proteger criminosos. A não ser que os considere como sócios. https://t.co/MczczIcrVp

Nenhum comentário: