10 de jul. de 2020

Lojas dos Correios buscam adequações para melhorias no atendimento ao público a partir desta segunda-feira

Correios tem quase 100 mil funcionários e não toma medidas ...
GIRO ECONÔMICO

A partir de segunda-feira (13), a empresa estabeleceu um novo procedimento para o atendimento de seus clientes no Estado do Maranhão. Agora, quando expirado o prazo de entrega, o destinatário pode solicitar que a encomenda seja encaminhada para a agência de Correios mais próxima, para que seja realizada a retirada. O objetivo é evitar deslocamentos desnecessários, aglomerações, garantir um melhor atendimento e minimizar eventuais transtornos.

A empresa orienta que o cliente se dirija à agência somente após o sistema informar que o objeto está́ disponível para retirada. Com isso, não será́ mais realizado atendimento ao público nas unidades de distribuição dos Correios do Maranhão. Os Correios lembram que, por conta da pandemia de Covid-19, alguns procedimentos tiveram que ser ajustados como, por exemplo, o aumento dos prazos de entrega.

Canais de Atendimento - Para solicitar o envio do objeto para a agência mais próxima, basta informar nome do destinatário, endereço com CEP e código de rastreamento pelos telefones (98) 2107-2270/2436/2439 ou por e-mail atendecliente@correios.com.br. A empresa reitera que está trabalhando para viabilizar neste momento de adversidade a continuidade, com segurança, de suas atividades, essenciais para a população brasileira.
Máscaras para indígenas - As famílias indígenas do estado de Tocantins, que integra com Maranhão, Piauí e Bahia a fronteira agrícola do Matopiba, devem voltar a receber as cestas de alimentos confeccionadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ainda neste mês. A Companhia retomou, na última semana, o transporte de 612 cestas para a coordenação regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) no município de Tocantinópolis. Também foram expedidas outras 99, destinadas à instituição, na cidade de Araguaína.

Compensação com desemprego - A produtora americana de alumínio Alcoa, que participa com a Billintton do Consórcio Alumar, no Maranhão, segundo notícia do portal Notícia da Mineração anunciou nesta quarta-feira (08) que os cortes de empregos e outras medidas de redução de custos ajudaram a companhia a diminuir o prejuízo causado pelos preços mais baixos do alumínio, reflexo da demanda menor diante da pandemia do novo coronavírus.

Dirigentes do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão e
autoridades de Segurança Pública reunidos para definir ações que venham
inibir farras em estacionamento de postos de combustíveis a partir deste sexta
Saneamento básico - Três municípios do Maranhão - São Luís (R$ R$ 97.399,40), Caxias (R$ 498.908,47) e Codó (R$ 113.616,96) - vão dividir um repasse superior a R$ 709 milhões do Ministério da Desenvolvimento Regional (MDR) para obras de saneamento. Ao todo, serão R$ 30,7 milhões, sendo que a maior parte dos recursos foi destinada às regiões Nordeste (R$ 15,8 milhões) e Norte (R$ 6,5 milhões), que possuem os índices mais baixos de cobertura dos serviços de água e esgoto.

Leia mais
Maranhão recebe mais de R$ 709 mil para obras de saneamento em São Luís, Caxias e Codó

Farra inflamável - O Presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis (Sindcombustíveis), Leopoldo Santos, viu-se obrigado a recorrer à polícia para inibir uma prática comum nos postos de combustíveis, a aglomeração de pessoas nos seus pátios, para consumo de bebidas alcoólicas trazidas ou adquiridas de terceiros após às 02h quando as lojas de conveniência encerram esse tipo de comércio. “Além dos prejuízos materiais e da depredação, os clientes que iriam até a conveniência para comprar se sentem inibidos e nem entram nos postos”, disse, ao justificar as operações que começam a partir deste sexta-feira (10).

Lei mais:
Polícia Militar inicia nesta sexta-feira operações para inibir baladas em postos de gasolina

Inflação aumenta - A inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,26% em junho. Ela é maior que as registradas em maio deste ano (-0,38%) e em junho de 2019 (0,01%)Com o resultado de junho, o IPCA acumula inflação de 0,10% no ano e de 2,13% em 12 meses. Os dados foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).




Nenhum comentário: