18 de ago. de 2020

Ao buscar comparativos para seu baixo desempenho nas pesquisas, deputado Rubens Júnior é traído pela memória

Ao participar nesta terça-feira (18) de uma entrevista aos jornalistas Domingos Costa e Osvaldo Maia, na TV Maranhense, o deputado federal (licenciado) Rubens Júnior (PCdoB), pré-candidato a prefeito de São Luís, ao tentar minimizar seu baixo desempenho nas intenções de voto medidas pelos institutos de pesquisa, deixou-se trair pela memória ao buscar comparativos para seu caso.

“Sou de um grupo político que não tem medo de pesquisas. Se fôssemos olhar somente pesquisas, o governador Flávio Dino não seria eleito em 2014, a senadora Eliziane e o senador Weverton também não se elegeriam em 2018. Estamos apenas no treino, no aquecimento e tem gente que já se cansou. Estamos tranquilos e temos a convicção que no momento certo, a nossa candidatura terá folego porque ela é para valer e para vencer”, explicou.
  • Rubens Júnior parece não lembrar, mas em 2014 todas as pesquisas indicavam a vitória de Flávio Dino (PCdoB) tanto que o seu adversário Luis Fernando Silva jogou a toalha antes da convenção que iria confirmar sua candidatura;
  • Na disputa para o Senado de 2018, da metade da campanha em diante, todas as pesquisas indicavam que Eliziane Gama e Weverton Rocha venceriam.
Rubens Júnior poderia dar outros exemplos, mas talvez tenha evitado para não magoar aliados e enaltecer adversários. Por exemplo:
  • Ele poderia lembrar que em 2014, todas as pesquisas indicavam que Gastão Vieira seria eleito senador, porém quem venceu foi o então aliado de Flávio Dino Roberto Rocha, hoje seu adversário;
  • Em 2016, todas as pesquisas diziam que Eliziane Gama não precisaria nem fazer campanha, pois ganharia a Prefeitura de São Luís no primeiro turno, mas ficou em quarto lugar e o vencedor foi Edivaldo Holanda, no segundo turno.
Rubens Júnior hoje patina nas últimas posições, em todas as pesquisas, numa disputa feroz com Carlos Madeira (Solidariedade), Detinha (PR) e Yglésio Moisés (PDT) para saber quem conseguirá ficar à frente das consideradas candidaturas nanicas, isto considerando-se as legendas, já que em desempenho junto ao eleitorado todos estão nesta condição.

Nenhum comentário: