4 de ago. de 2020

Não, Rodrigo Maia! Não é assiiiiimm!!!!!!!!!!!

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, diz não ver motivos para impeachment de Bolsonaro

Não deu para os ocupantes da bancada do Roda Viva, na TV Cultura, esconderem a cara de decepção com o entrevistado desta segunda-feira (03), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que logo no primeiro bloco tratou de desmontar aquela que parecia a pauta a ser levantada a fim de gerar manchetes na grande mídia e muitos, mas muitos mesmo, comentários nas redes sociais sobre o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Logo no primeiro bloco, ao ser questionado sobre o porquê de não dar andamento a um dos cerca de cinquenta pedidos para afastamento do presidente, Maia disse que “destes [pedidos] que estão colocados, eu não vejo nenhum tipo de crime atribuído ao presidente, de forma nenhuma”.

Leia mais
Para Rodrigo Maia, não há motivos para impeachment de Jair Bolsonaro

Como assim? Devem estar se perguntando até agora os entrevistadores, como se dissessem que aquilo não era o combinado.

Pior foi quando para tentarem achar uma contradição no seu discurso, passaram a indagar sobre seu voto ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e ela afirmar que fez isto com convicção, pois as pedaladas fiscais que praticou eram realmente graves, e, para completar, revelou que votou em Jair Bolsonaro no segundo turno, em 2018, porque era mais simpático à sua pauta liberal do que às propostas do petista Fernando Haddad, embora seu candidato no primeiro turno tenha sido Ciro Gomes (PDT).

Maia deixou a bancada do Roda Viva tão desconcertada que a apresentadora, Vera Magalhães, ao criticar a situação confortável em que o presidente já se encontra diante da possibilidade de não investigação no Legislativo ter confundido chapéu de vaqueiro com chapéu de jagunço, ao mencionar o adereço usado por Bolsonaro nas recentes visitas ao Piauí e à Bahia.

De plantão para soltarem o anúncio de que em breve a Câmara poderia começar a debater o terceiro impeachment presidencial no Brasil, ativistas das redes sociais passaram a disparar críticas e ofensas ao presidente da Câmara, mas, como seu perfis são de esquerda, o ministro Alexandre de Moraes não vai ameaçá-los de censura, tampouco pedirá prisão aos autores das ofensas enquanto os investiga por "fake news e ofensas".

Certo é que depois da cena patética, ficou aquela sensação de que os atores do Roda Viva iriam gritar como o narrador de futebol Téo José, da Fox Sports:

- Não, Rodrigo Maia!!!!!! Não é assiiimm!!!!!!!!!!


Nenhum comentário: