26 de ago. de 2020

Roseana Sarney poderá anunciar adesão ao consórcio de candidaturas de Flávio Dino a prefeito de São Luís

Um dos maiores críticos do governo da antecessora de Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney, o secretário de Indústria, Comercio e Energia, Simplício Araújo, está próximo de amargar, pelo menos aos olhos do público externo, o dissabor da boa convivência com contrários quase elevados à condição de inimigos, em nome de interesses políticos, ou melhor, em defesa do povo.

Na próxima segunda-feira (31), o MDB, de Roseana, poderá oficializar apoio a prefeito de São Luís ao ex-juiz federal Carlos Madeira, do Solidariedade, presidido no Maranhão por Simplício Araújo. Madeira é um dos seis concorrentes que integram o consórcio bancado pelo Palácio dos Leões.

Desde que substituiu Domingos Dutra (PCdoB) na Câmara Federal, Simplício tem sido um crítico fervoroso do governo de Roseana e suas críticas ficaram ainda mais contundentes após assumir a Secretaria de Indústria e Comércio, com um rosário de críticas sobre supostos benefícios ilegais a empresas, projetos econômicos equivocados, má gestão de verbas públicas etc. 

Tudo isto, no entanto, poderá merecer uma pausa em nome da aliança em favor de Carlos Madeira.

Como presidente do Solidariedade, Simplício tem outros dissabores a amargar: para emprestar seu apoio a Carlos Madeira, Roseana exigirá que o candidato inclua no seu programa de governo 15 propostas do MDB. Outros incômodos seria colocar a ex-governadora no consórcio de candidaturas do Palácio dos Leões, ou seja, aproximá-la de Flávio Dino, e entregar Carlos Madeira patinando na faixa de 1% nas pesquisa e ao final da campanha receber com cerca de 10%, já que ela teria mais de 8% de preferência do eleitorado de São Luís.

Nenhum comentário: