8 de set. de 2020

Caixa destina R$ 50 milhões do Pronamp para microcrédito no momento de retomada da economia

GIRO ECONÔMICO

Na última quinta-feira (03), o Ministério da Economia aumentou o limite da Caixa para contratação pelo Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) em R$ 2,55 bilhões. Dentro desse novo limite, a Caixa foi a única instituição financeira que direcionou R$ 50 milhões para beneficiar cerca de 3 mil microempresas. Até o momento, a Caixa já contratou cerca de R$ 1,8 bilhão na nova fase do Pronampe. No acumulado, já foram contratados R$ 9,1 bilhões por meio da linha.

Para o presidente Pedro Guimarães, por meio de mais essa iniciativa, a Caixa reforça sua atenção ao empreendedor brasileiro. “O microcrédito é um dos focos estratégicos da nossa gestão. Mais uma vez, saímos na frente, utilizando o Pronampe para atender, também, os microempreendedores, além dos micro e pequenos empresários”, ressalta.O Pronampe Microcrédito conta com a parceria do SEBRAE para o crédito assistido antes e após a contratação com a Caixa. O recurso pode ser utilizado para o capital de giro isolado ou associado ao investimento. 

Os clientes podem utilizar o crédito, por exemplo, para realizar reformas, adquirir máquinas e até mesmo direcionar os recursos para as despesas operacionais, como o pagamento de salário de empregados, compra de matérias-primas ou de mercadorias.

Acesso à internet - O Brasil está despreparado para experimentar uma revolução digital. Considerando dados sobre a desigualdade no País, essa é uma das principais conclusões do novo estudo da Análise Econômica Consultoria (www.analiseeconomica.com.br). Aproximadamente 30% da população brasileira não tem acesso algum a internet e somente 15 a cada 100 pessoas possuem internet banda larga em casa. Das 225,3 milhões de linhas telefônicas móveis, quase 30% não dispõem da tecnologia 4G e aproximadamente 111 milhões delas estão na modalidade de pré-pago. Além disso, cerca de 49% de todas as linhas telefônicas móveis e 55% de todos os acessos à internet banda larga fixa estão na região sudeste do Brasil.

Nenhum comentário: