3 de out. de 2020

Governador Flávio Dino passa para população a impressão de que o Corpo de Bombeiros só atuou em socorro às vítimas do Mateus porque houve uma "determinação" sua

Secretários Jefferson Partolla (E) e Carlos Lula cumprindo
"determinação" do governador Flávio Dino para o Estado
socorrer vítimas do acidente no Mix Mateus em São Luís
A expressão "determinei", usada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), na noite desta sexta-feira (02), para comunicar que o Corpo de Bombeiros estava trabalhando no socorro das vítimas do acidentes na loja do Mix Mateus, no bairro do Vinhais (Curva dos Noventa), em São Luís, foi inapropriada para situações como esta. Afinal de contas, sem a ordem do governador, os bombeiros não iriam socorrer as os trabalhadores e clientes da empresa? Enquanto não chegasse a "determinação", soldados e viaturas iriam ficar estáticos? É assim que ocorre em outros casos no estado?

"Já determinei ao comandante do Corpo de Bombeiros dedicação integral ao acidente no supermercado Mateus, visando à localização e socorro às vítimas", disse o governador nas redes sociais, minutos após o inícios da divulgação de fotos e vídeos sobre a tragédia, como se esta não fosse obrigação constitucional do CB. Minutos depois, para provar com sua "determinação" estava sendo cumprida, o governador postou:

"Sigo acompanhando o socorro às vítimas do acidente no supermercado Mateus. Secretário de Segurança Pública, comandante do Corpo de Bombeiros e secretário de Saúde estão no local, coordenando o trabalho das nossas equipes".

Leia mais

A mesma linha foi seguida pelo secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, que não perdeu a oportunidade de mostrar sua eficiência:

"Colocamos à disposição as UPAS, Hospitais de Traumatologia e Ortopedia, Hospital de Cuidados Intensivos e o Hospital Dr. Carlos Macieira, bem como quatro ambulâncias para somar aos veículos", ou seja, antes de sua intervenção não estavam e não iriam estar enquanto o secretários não se manifestasse?

Vale ressaltar, no entanto, que os órgãos de Segurança Pública e de Saúde, independentemente de ordem de autoridade, deve estar a serviço da população, na busca de proteger vidas e sofrimento, ou seja, não entram em ação porque o governante autorizou.

4 comentários:

Anônimo disse...

Determinação = nada de mais e quase sempre de praxe.

Unknown disse...

É muito cinismo

Anto disse...

É a obrigação do estado. Nada de ficar puxando pra si a obrigação ao socorro, dos bombeiros e equipe médica. O crédito é todo das equipes de socorristas.

Unknown disse...

Somos tropa de elite, temos compromisso com a sociedade nunca fomos tão valorizados e reconhecidos nesse governo... Parabéns nosso governador ainda digo mais se depender de mim trabalho para vê-lo na presidência