26 de out. de 2020

Líder do governo, Ricardo Barros, repete previsão de José Sarney e diz que Constituição deixa pais ingovernável

O
 líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), defendeu, ao defender, nesta segunda-feira (26), a realização de um plebiscito para que os cidadãos brasileiros decidam sobre a elaboração de uma nova Constituição, repetiu a previsão feita pelo ex-presidente José Sarney, quando a Carta Magna ainda estava sendo elaborada e disse que ela deixaria o país ingovernável. 

Barros citou o exemplo do Chile, que aprovou em plebiscito, a elaboração de uma nova constituição por considerarem a atual desatualizada com a realidade do país.

A declaração de Barros gerou polêmica. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que "a situação do Chile é completamente diferente da do Brasil. Aqui, o marco final do nosso processo de redemocratização foi a aprovação da nossa constituição em 1988. No Chile, deixaram está ferida aberta até hoje".

Nenhum comentário: