14 de nov. de 2020

A melhor opção que teria o eleitor de São Luís neste domingo seria definir a eleição logo no primeiro turno

Independentemente de qual viesse a ser o candidato escolhido, a melhor opção que teria o eleitor de São Luís para este domingo (15) seria definir a eleição logo no primeiro turno, por uma série de razões impostas a um pleito marcado por muitas excepcionalidades por conta de uma pandemia que coloca em risco a vida de todos. Além da segurança sanitária, o eleito precisará de mais tempo para montar um governo de transição, a fim de tomar posse com o mínimo de conhecimento sobre a realidade que enfrentará a partir de 1º de janeiro de 2021 quando se tornará o gestor do município.

Para muitos, inclusive políticos, o pleito nem deveria se realizar este ano, e embora a ideia se parecesse absurda no começo, o desenrolar da campanha mostrou o quanto houve de precipitação com pessoas aglomeradas, sem máscaras, sem distanciamento e tudo o mais que foi exigido da população nos momentos em que as estatísticas sobre coronavírus eram assustadoras.

A eleição deste domingo já será de um grande tormento para milhares de eleitores obrigados a seguir normas de segurança sanitária antes não imaginadas: máscaras, higienização de mãos, distanciamento em filas e outras coisas que diferenciam em muito esta eleição das anteriores.

Eis algumas das vantagens para se encerrar a eleição logo neste domingo:

  • Sem mobilização para nova campanha no segundo turno, eleitores, cabos eleitorais etc não precisarão mais se aglomerar, pondo em risco sua saúde e daqueles com quem interagem.
  • Sem candidatos para defender, vereadores, deputados, secretários de governos estadual e municipal passarão a cuidar daquilo para que foram eleitos ou nomeados e não fugir do trabalho para ficarem pedindo votos, perseguindo adversários, dificultando atendimento nas repartições e outras coisas a mais.
  • Encerrada neste domingo, na próxima semana o prefeito eleito já começaria a se reunir com o atual para que suas equipes possam se debruçar sobre números que atestam a situação do governo municipal para os próximos quatro anos. Havendo o segundo turno, isto só ocorrerá em dezembro.
  • Emissoras de rádio e televisão não serão mais obrigadas a ceder tempo de sua programação para propaganda eleitoral.
  • Os agentes das redes sociais que passam o dia difundindo fake news para desconstruir reputações vão se recolher e procurar algo útil para fazer.
  • As autoridades ficam liberadas para tomarem as medidas que forem necessárias e urgentes para conter uma nova onda de coronavírus e não ficarão mais protelando o que deve ser feito em nome de interesses eleitorais.
  • Os candidatos não precisarão mais mentir para se apresentarem simpáticos com suas ideias mirabolantes que antes ninguém nunca imaginou que poderiam ser aplicadas.
  • A cidade iria passar pelos quinze dias que restam para findar o ano voltada para o espírito de paz natalina.


Nenhum comentário: