12 de nov. de 2020

Se exame do Lacen não for esclarecido, política de combate a coronavírus no Maranhão cai em descrédito, pois é fácil falsificar documentos do Estado

É no mínimo curioso que a Secretaria Estadual da Saúde (SES), que tem à sua frente o presidente do Conselho Nacional dos Secretarias de Saúde (Conass), Carlos Lula, uma das vozes mais ouvidas sobre combate ao coronavírus, principalmente quando a pauta é criticar o Governo Fedderal, não tenha manifestado ainda interesse de investigar a grave denúncia de uso do Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen) para se prejudicar um candidato. 

O exame, que seria "falso",  tem timbre do Governo do Estado, assegura ter havido um exame, mas não apresenta quem seja o responsável pelo laudo.

Se a Secretaria de Saúde não esclarecer esse caso, põe em dúvida toda a política de combate ao coronavírus no Maranhão, pois nenhuma informação do governo merecerá mais credibilidade, já que qualquer um pode fraudar exames ou então contestar, colocá-lo em dúvida e não receber resposta a altura.

Pelo lado político, chega-se à triste constatação de que em pleno 2020 voltamos no Maranhão a usar métodos para ganhar eleição nos mesmos moldes do Vitorisno.

Nenhum comentário: