7 de dez. de 2020

Deputados e senadores pelo Maranhão optam pelo silêncio com decisão do STF de melar reeleição de Maia e Alcolumbre

Bira do Pindaré considerou a medida acertada
É no mínimo curioso que nesta segunda-feira (07), dia em que o Brasil foi acordado com uma "bomba" detonada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que melou os planos de reeleição dos presidentes da Câmara Federal, Rodrigo Mais, e do Senado, Davi Alcolumbre, contra o que reza Constituição, tenha sido o dia em que os parlamentares maranhenses mais tenham optado por privar a população dos seus "sábios" comentários sobre democracia, constitucionalidade etc.

Como se percebe, esse silêncio é sempre em cadeia, ou seja, ninguém deve tocar no assunto, e até mesmo jornalistas, blogueiros, tuiteiros e outros "analistas" de plantão que todos os dias entopem as redes sociais com suas opiniões, se atrevem opinar.

Dos três senadores - Eliziane Gama (Cidadania), Roberto Rocha (PSDB) e Weverton Rocha (PDT) - nenhuma palavra. Até trecho de música de João do Vale foi reproduzida, mas sobre o que decidiu a maioria dos ministros da Suprema Corte, nada!

Dos 18 deputados, salvou-se Bira do Pindaré (PSB), que fez uma análise sensata do ocorrido.  "Decisão acertada do Supremo Tribunal Federal, que defendeu a Constituição. Podemos ter diferentes opiniões, é natural da democracia; o q não podemos é usar de casuismos para resolver pendências políticas. Não é assim q resolveremos os problemas do país. O Supremo foi corretamente!", disse ele.

Dos demais, nada! Até eleição parlamentar na Venezuela foi comentada, mas sobre o respeito à Constituição, melhor não tocar nisso, o que demonstra ter havido uma grande frustração, porque a continuidade de Maia e de Alcolumbre, de alguma forma seria celebrada como uma derrota do Palácio do Planalto. Nem mesmo quem não perde uma oportunidade de dar aula pública de Constitucionalismo quis opinar.

Como se costuma dizer no interior, o silêncio diz mais de mil palavras, basta saber interpretá-lo.


Nenhum comentário: