7 de mai. de 2021

Quem são Mercado e Ciência que ninguém vê, mas estão sempre pautando as redações de jornal, rádio e TV?

 

De uns tempos para cá, alguns substantivos abstratos ganharam personificação nos meios de Comunicação e passaram a ditar normas sempre que alguém deseja promover ou desqualificar alguém ou alguma instituição. A esse conceito agarram-se, ainda com mais euforia, quem não têm nenhuma identificação com a atividade ou o setor no meio do debate.

Um desses seres mais famosos é Mercado. Ninguém nunca viu, ninguém sabe onde mora, porém está sempre pronto para entrar em ação, sempre que chamado. Um discurso do presidente da República, um projeto de lei no Congresso, um processo em julgamento no Supremo Tribunal Federal, uma pesquisa sobre intenções de voto..., tudo isso pode mexer com o humor de Mercado, que não demora mostrar satisfação ou decepção.

Quando o presidente Jair Bolsonaro anunciou que iria mudar o presidente da Petrobras, Mercado agiu rapidamente e em questões de horas a estatal do Petróleo teve seu valor depreciado em valores absurdos, mas em pouco tempo já estava calmo. Vez por outra, Mercado age para interferir na economia do país, não pelo que está ocorrendo aqui, mas pelos sinais emitidos de fora.

Quando foi anunciada, recentemente, a troca de comando nas forças armadas, Mercado levou as ações na Bolsa às nuvens. Questionada, a comentarista de Economia de uma importante emissora de TV, que conhece muito bem Mercado, disse que ele não se movimentou pelo que estava acontecendo aqui, mas pelos sinais emitidos dos Estados Unidos, de onde vinham boas notícias, ou seja, Mercado derrubou a Bolsa pelo discurso do presidente, mas aumentou não por causa de um fato político local, mas por uma decisão do presidente norte-americana, Joe Biden.

Além de mercado, ganhou muito importância na imprensa nacional, Ciência, principalmente nestes tempos de pandemia. Sempre que uma notícia é dada sobre protocolos médicos, descoberta de um novo medicamento, uma fala de um governante etc, ela sempre é mencionada. Ciência condena, Ciência não recomenda, Ciência diz... 

Quem é Ciência? 

Todos sabem que a palavra se refere a saber, pesquisa, descoberta, mas quem fala por ela?

Depende de quem vai dar a notícia, mas com os veículos de comunicação tradicionais alinhados em seus editoriais, Ciência são todos os cientistas que não encontram eficácia em alguns medicamentos para tratar, por exemplo, covid-19. Esses veículos sempre atribuem a Ciência essa não recomendação, mas não diz que ela é representada também pelo segmento que diz o contrário.

Pior de tudo isso é a indução para que pessoas sem nenhuma identificação com Mercado e Ciência debatam exaustivamente o que pensam, principalmente nas redes sociais. Muitos sabem apenas repetir o que ouvem, e seus conhecimentos desabam na primeira indagação sobre o que estão afirmando.

Mas vêm novamente as perguntas: Quem é Mercado? Quem é Ciência?

Posso estar errado, mas Mercado é o dono de uma corretora que liga para as redações a fim de dizer como está a gangorra da Bolsa, onde pretende até o final do dia chegar com mais algumas centenas de dólares na conta. 

Quanto a Ciência, esta é mais complicada, mas quem anda de mãos dadas neste momento são os industriais de medicamentos, que não aceitam a possibilidade de um medicamento contra essa terrível doença de destruição mundial estar pronto, na prateleira das farmácias a preços baixos e com patente já quebrada. 

Numa outra oportunidade, falarei sobre os especialistas.


Nenhum comentário: