18 de jun. de 2021

Com filiação de Flávio Dino, PSB deve ir abrindo espaço, pois não vai faltar gente querendo entrar na legenda



Até 2014, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), no Maranhão, era uma sigla que fazia muito barulho, mas não mentia medo em ninguém. Já sob a liderança de Flávio Dino, embora nunca tenha sido seu presidente de direito, a legenda conseguiu um feito imaginável para muitos, ao se unir a uma das siglas mais conservadoras e que era a referência para o discursos do "nós contra eles", o PSDB, num momento em que travava uma de suas maiores disputas pela Presidência da República com o PT, de quem Flávio sempre foi simpático, e assim formou o palanque que garantiu sua vitória ao Palácio dos Leões.

Empossado governador, Flávio Dino conseguiu outro feito extraordinário, embora em política sempre se sabe como essas coisas acontecem: um crescimento extraordinário da sua legenda, com filiações de deputados, prefeitos, vereadores, lideranças políticas sem mandato, dentre os quais, pessoas que pertenciam a setores que sempre foram alvo de críticas da legenda, como agropecuaristas, empresários e outros, sem falar em políticos de extrema direita.

Nesta quinta-feira (17), mais uma vez, Flávio Dino surpreendeu alguns, mas não muitos, ao comunicar sua desfiliação da legenda comunista para entrar no Partido Socialista Brasileiros (PSB), e agora fica a grande expectativa quanto ao impacto dessa decisão nas duas legendas. 

  • Vai o PCdoB murchar?
  • Vai o PSB inchar?

Teria grande chances de ganhar uma aposta quem optasse pela segunda opção, pois sempre foi assim, e não causará surpresa se muitos dos que decidirem seguir o governador começarem a emitir opiniões que compreenderam estarem equívocados pelo período de vivência nas hostes comunistas, mas agora é momento de seguir outros caminhos, justamente os apontados pelo governador.

A permanência destas lideranças na sigla socialista vai depender do que ocorrerá em 2022. Se Flávio Dino for eleito senador, como ele acredita que será, o PSB vai crescer mais ainda; se Carlos Brandão for eleito governador, vai faltar espaço no ninho para acomodar tantos tucanos; se Weverton Rocha for mesmo candidato a sucessor de Dino, e vencer, a legião de saudosistas de Leonel Brizola vai ser uma festa com tantos convertidos ao PDT. O mesmo ocorrerá em caso de sucesso de candidaturas ligadas ao bolsonarismo.

Nenhum comentário: